Vasco arranca empate do Inter com pênalti inexistente

Patrocínio

Vasco arranca empate do Inter com pênalti inexistente

Inter e Vasco empataram em 1 a 1 na noite dessa sexta-feira, em São Januário. Em um jogo marcado por muitas reclamações dos colorados, devido ao pênalti marcado para os cariocas aos 46 minutos do segundo tempo, que gerou o gol de empate.
Apesar de 23 pontos separarem Inter e Vasco na tabela, em campo, essa diferença foi pulverizada. Em uma partida entre iguais, cariocas e gaúchos fizeram um jogo fraco no Rio. Sem Leandro Damião, lesionado, a aposta de Odair Hellmann em Rossi demorou a dar resultado. Aos 12 minutos, o Inter ainda contou com a sorte para não ter uma pênalti anotado contra a sua defesa. Víctor Cuesta saltou com o braço aberto e acertou com o cotovelo o rosto de Leandro Castan. Apesar das reclamações vascaínas, o árbitro nada marcou.
Por vezes, o Vasco parecia atacar com Romário, com Edmundo, com Juninho Pernambucano, com jogadores de uma história não tão distante de grandeza do clube, tamanha era a facilidade para cercar a área colorada. Aos 26 minutos, Willian Maranhão bateu de longe e Marcelo Lomba se esticou todo para espalmar a escanteio.
Mais adiante, a Lei do Ex por pouco não voltou a cair sobre o Inter. Rodrigo Moledo atravessou uma bola no pé de Pikachu, que avançou e foi derrubado por Cuesta. Fabrício, lateral-esquerdo que foi mandado embora do Beira-Rio depois de devolver com os dedos médios os xingamentos da torcida colorada, cobrou falta e o Inter foi salvo de novo por Lomba.
O Inter do primeiro tempo lembrou o time daquele começo de Brasileirão, bem aquém desse Inter do segundo semestre. A última jogada, aos 46 minutos, foi uma falta de Pikachu que passou lambendo o travessão, com Marcelo Lomba já batido.

Assista aos gols:


No segundo tempo, logo aos dois minutos, Lomba salvou de novo. Pikachu recebeu às costas de Iago, e bateu de primeira, mas o goleiro colorado teve reflexo suficiente para buscar.
Um raro momento de lucidez colorado foi a arrancada de Rossi pela direita, um cruzamento na área, onde Patrick cabeceou totalmente desequilibrado, para cima, com a bola caindo atrás do gol. Aos 11 minutos, um chute a gol. Rossi armou a jogada e encontrou Edenilson, que bateu para a defesa de Martín Silva.
Jonatan Alvez substituiu Rossi quando o Vasco já tinha até acertado uma bola na trave colorada. O Inter tentava soluções no Rio. O uruguaio entrou bem. No primeiro lance, bateu a gol e Werley salvou, depois, sofreu um pênalti de Andrey, não marcado pela arbitragem. Wellintgon Silva no lugar de D'Alessandro foi uma última carata da Odair Hellmann. E foram eles, Wellington e Jonatan que definiram o jogo. Wellington bateu cruzado e Martín Silva espalmou. A bola sobra para Jonatan Alvez, que bate, escorrega, e vê a bola entrando no cantinho direito: Inter 1 a 0.
A vitória parecia encaminhada até que, aos 46 minutos, Kelvin invadiu a área, foi derrubado por Cuesta, e o pênalti foi marcado pelo árbitro auxiliar, que estava atrás do gol. Após muita reclamação e amarelos para Dourado e Edenilson, Maxi López cobrou o pênalti e empatou o jogo.
Ao Inter, sobraram as reclamações, enquanto que a disputa agora parecer ser apenas por vaga à Libertadores.

Fonte Leandro Behs da Rádio Gaúcha

Postar um comentário

0 Comentários