Beto Bruno fala sobre o fim da banda Cachorro Grande - Lully FM - La Profundidad 88.1

sábado, 24 de novembro de 2018

Beto Bruno fala sobre o fim da banda Cachorro Grande

Beto Bruno da Cachorro Grande
Durante entrevista para o grupo RBS, afiliada da TV Globo no Rio Grande do Sul, o vocalista Beto Bruno observou uma foto emoldurada na sala de seu apartamento. Tratava-se de um registro não divulgado da Cachorro Grande com os Rolling Stones, realizado quando a banda gaúcha fez o show de abertura para a apresentação dos britânicos no Beira-Rio, em 2016. Ao deparar com a imagem de um dos dias mais felizes de sua vida, o cantor foi atropelado por suas lembranças.
– Desculpa, me emocionei um pouco. Achei que ia conseguir falar na boa, mas me perdi. Não está fácil para mim – lamentou.
Beto Bruno relata que costumava brincar que a Cachorro Grande poderia acabar depois que abrisse para os Stones.
– Era o mais alto que a gente poderia chegar – define o vocalista da banda, que também fez shows de abertura para nomes como Oasis, Aerosmith, Primal Scream, Iggy Pop, entre outros.
Dois anos depois de dividir a noite com Mick Jagger e Keith Richards, a Cachorro Grande anunciou seu fim no último dia 12 de novembro, às vésperas de completar duas décadas de trajetória. Segundo comunicado divulgado pela banda, o quinteto "planejou a turnê até o meio de 2019 e a partir dali os integrantes perceberam que cada um tinha um plano próprio desenvolvido". A nota também deu indicações dos projetos em que cada integrante se envolveria:

"O vocalista Beto Bruno já está começando a gravar seu primeiro disco solo, que será lançado justamente ao final da turnê da Cachorro Grande - portanto, vai emendar com fita durex, como se fazia antigamente, a fita de rolo do voo com a banda com o seu pouso solo pelos palcos. O baixista Rodolfo Krieger está com mudança marcada para a Europa; o baterista Gabriel Azambuja quer investir em produção musical, o pianista Pedro Pelotas também tocará seus outros projetos musicais, e o guitarrista Gustavo X engrossa a trupe na banda do vocalista".



Formada em 1999, em Porto Alegre, a Cachorro Grande foi gradativamente ganhando terreno além da cena do rock gaúcho. Os dois primeiros discos, Cachorro Grande (2001) e As Próximas Horas Serão Muito Boas (2004), ajudaram a projetar a banda nacionalmente, mas o boom veio mesmo em 2005, com o álbum Pista Livre e a participação no Acústico MTV: Bandas Gaúchas. De lá para cá, o grupo expandiu sua sonoridade e chegou a uma fase mais experimental nos recentes discos Costa do Marfim (2014) e Electromod (2016), nos quais promove uma fusão do rock com a música eletrônica. Em abril deste ano, a Cachorro lançou um disco ao vivo, intitulado Clássicos. Porém, no mês seguinte, a banda demitiu o guitarrista Marcelo Gross. Segundo Beto Bruno, em entrevista à Folha de S.Paulo, o processo de saída do integrante foi gradual:
— Já faz alguns anos que sentimos um certo afastamento dele a respeito do processo criativo da banda. No fundo, estou muito triste com essa situação toda. Mas ao mesmo tempo aliviado por não ter que brigar e discutir mais sobre assuntos que foram sendo protelados com o passar dos anos.

Fonte Gaúcha/ZH

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!