Saiba detalhes do novo álbum da rapper Negra Li - Lully FM - La Profundidad 88.1

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Saiba detalhes do novo álbum da rapper Negra Li

Novo álbum da Negra Li
É sintomático que o imponente cabelo afro de Negra Li sobressaia na expressiva foto que expõe a artista paulistana na capa do terceiro álbum solo da rapper, Raízes (White Monkey Recordings).
Lançado hoje, o disco brada orgulho negro – do qual o cabelo é o símbolo mais visível – e evoca já no título Raízes a intenção de reconectar a rapper ao universo inicial do hip hop, mas com discurso e beats contemporâneos.
Esse universo abarca ritmos da música black como o jamaicano reggae, cuja levada está embutida em Nossos sonhos, e o norte-americano R&B, mote de músicas como Meu juízo, Sexta e Eclipse lunar, tema sensual gravado em dueto com Seu Jorge.
Revelada na segunda metade da década de 1990 como integrante do grupo paulistano de rap RZO (Rapaziada da Zona Oeste), Negra Li iniciou em meados dos anos 2000 carreira solo prejudicada pela natureza predadora da indústria fonográfica. Incursões artificiais pela MPB e pelo pop descaracterizaram o som e a imagem da artista porque foram idealizadas e impostas por diretores de gravadoras.
Mesmo que a qualidade do repertório oscile, o álbum Raízes soa mais verdadeiro do que os títulos anteriores da espaçada discografia solo de Negra Li.
Enfim livre para cantar o que quiser, a artista se junta a Rael para ecoar e atualizar no rap-título Raízes – formatado com beats africanos – o discurso orgulhosamente negro que remete nos versos iniciais à letra de Olhos coloridos (Macau, 1981).
Na mesma linha altiva, o R&B Mina manda recado de autoestima para as mulheres negras em sintonia com o empoderamento feminino que pauta o rap Venha. Música que abre o disco, Venha embute batucada de samba, explicitando a anunciada brasilidade do disco, também detectada em Malandro chora, single que anunciou em setembro a edição do álbum Raízes.
O som de Negra Li no álbum Raízes é coisa de pele no sentido político de valorização da melanina e no significado mais sensual da vida privada. O que justifica faixas românticas como Uma dança, dividida pela cantora com Gaab, filho do pagodeiro Rodriguinho.
Música gravada por Li em dueto com Cynthia Luz, Wakanda revolve raízes ancestrais da negritude para expor a força da raça em letra que cita a vereadora Marielle Franco (1979 – 2018).
Em Raízes (disco produzido por coletivo integrado por Pedro Lotto, Caio Paiva, DJ Gustah e Duani), Negra Li reencontra o fio da meada, fazendo a própria cabeça no sentido metafórico e também no literal, haja visto o belo penteado da foto da capa do álbum. (Cotação: * * * 1/2).

Ouça os singles do novo álbum da Negra Li aqui na programação da Lully FM!

 — Foto: Editoria de Arte / G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!