No dia 11 de janeiro de 1985 começava o primeiro Rock in Rio

Patrocínio

No dia 11 de janeiro de 1985 começava o primeiro Rock in Rio

Rock in Rio 1985
Não é exagero dizer que o Rock in Rio mudou a cara do business brasileiro, quando, a partir do dia 11 de janeiro de 1985, começou a trazer uma sequência inacreditável de shows para a época. Durante dez dias, o festival reuniu quase um milhão e meio de pessoas para assistir a shows internacionais de artistas como Queen, AC/DC, Whitesnake, Iron Maiden, Rod Stewart, Nina Hagen, George Benson, B-52's, Go-Go's, James Taylor, Ozzy Osbourne, Yes e Al Jarreau além de montar um verdadeiro cânone do rock no Brasil ao enfileirar clássicos do gênero (Gilberto Gil, Pepeu Gomes e Baby Consuelo, Elba Ramalho, Rita Lee, Alceu Valença, Moraes Moreira e Ney Matogrosso) com os novatos do período (como Blitz, Barão Vermelho, Lulu Santos, Eduardo Dusek, Kid Abelha e Paralamas do Sucesso).
Bandas de rock já vinham para o Brasil antes do Rock in Rio, mas eram raros concertos que sempre arrebatavam multidões, como Santana em 1973, Alice Cooper e Jackson Five em 1974, Rick Wakeman em 1975, Genesis em 1977, Queen em 1981 e Van Halen e Kiss em 1983. Todos esses shows funcionaram como uma espécie de teste para o Rock in Rio, superando questões com estrutura e equipamento de som ao mesmo tempo em que formavam um público que nunca tinha assistido a bandas de rock internacionais.
Aliado ao novo som que surgia no início dos anos 1980, algumas bandas no Rio começaram um movimento que mais tarde uniria artistas novos tão diferentes quanto Titãs, Legião Urbana, Paralamas e Lulu Santos. Ao reunir estas duas tendências, o Rock in Rio tornou-se história, não apenas do ponto de vista doméstico (quando ensinou a produtores de todo o país que era possível fazer espetáculos parecidos com os internacionais) quanto no resto do mundo (quando o festival foi comemorado pela mídia de fora do Brasil como o maior evento ao vivo de todos os tempos).
E foi só o começo de uma nova era, que realizou outras edições — igualmente épicas — do festival no Brasil, além de levar esta marca para o exterior, com edições realizadas em Portugal, Espanha e Estados Unidos. Sempre reunindo clássicos do rock e o melhor da música pop do período.
E os aniversariantes deste 11 de janeiro incluem o criador do órgão Hammond Laurens Hammond (1895-1973), o blueseiro norte-americano Slim Harpo (1924-1970), o tecladista do Yes Tony Kaye (1946), o rapper Big Bang Hank da Sugar Hill Gang (1956-2014), a guitarrista e vocalista dos Bangles Vicki Peterson (1958), Tom Dumont do No Doubt (1968), a cantora Mary J. Blige e o produtor Tom Rowlands dos Chemical Brothers (ambos de 1971) e o líder do Kasabian, Thomas Meighan (1981).

Postar um comentário