Charlie Brown Jr. anuncia show no Rock in Rio e turnê em 23 cidades a partir de julho

Patrocínio

Charlie Brown Jr. anuncia show no Rock in Rio e turnê em 23 cidades a partir de julho

Charlie Brown Jr.
Após apresentação no aniversário de São Paulo, no dia 25 de janeiro deste ano, no Vale do Anhangabaú, o Charlie Brown Jr. anunciou nesta terça-feira (9) show no Rock in Rio e uma turnê pelo país, que começa no dia 13 de julho, na capital paulista.
Responsável pela iniciativa, Alexandre Abrão, filho de Chorão, líder da banda que morreu em 2013, a ideia é fazer uma celebração do legado do grupo. "O intuito da turnê não é lançar disco, nada disso, é literalmente pegar a história do Charlie Brown, que é grande, linda e magnífica, e trazer para 2019, 2020, 2021", disse.
Ele não descartou, no entanto, a possibilidade da turnê "Tamo Aí Na Atividade: Celebração ao Charlie Brown Jr" ser transformada em DVD. "A gente pode continuar a história, com CD, DVD, mas com muito respeito ao passado. Não vamos lançar nada novo que não tenha a ver com o meu pai ou com o Champignon. Tudo que a gente for lançar já foi pré-gravado ou pelo meu pai ou por ele", explicou Abrão, em referência ao baixista Champingon, também morto em 2013.
Além de São Paulo, pelo menos outras 22 cidades devem receber o grupo: Santos (SP), Rio de Janeiro, Porto Alegre, Caxias do Sul (RS), São José dos Campos (SP), Ribeirão Preto (SP), Belém, Salvador, Vitória, Curitiba, Londrina (PR), Maringá (PR), Belo Horizonte, Juiz de Fora (MG), Brasília, Goiânia, Fortaleza, Governador Valadares (RJ), Cuiabá, Campo Grande, Florianópolis e São Luís.
Na capital carioca, o grupo vai tocar no dia 28 de setembro no palco Rock District do Rock in Rio, e também no dia 27 de julho, no Engenhão. A cidade de Santos, onde a banda nasceu, terá uma apresentação especial, provavelmente na praia.
Com exceção do Rio e de São Paulo, as outras datas dos shows não foram anunciadas. A turnê pode se estender até 2020.
Além de Abrão, farão parte dos shows os músicos Marcão Britto (guitarra), Heitor Gomes (baixo) e Pinguim Ruas (bateria), que faziam parte da formação original do Charlie Brown Jr. No vocal, será feito um rodízio de músicos. Já foi anunciado também que Panda, vocalista do La Raza, vai acompanhar a banda como uma espécie de mestre de cerimônias.
Marcão Britto destacou que as apresentações serão semelhantes a realizada no aniversário de São Paulo, em que um telão mostrou imagens antigas da banda e o público pôde interagir com o Chorão cantando. "Foi muito emocionante", afirmou.
"O Charlie Brown vai ser mantido no lugar em que ele está. O que a gente está fazendo é uma celebração de toda a nossa história. Podemos levar isso para o público agora da melhor maneira possível, e de uma forma diferente do que a gente já fez", completou o guitarrista.
Para os integrantes da banda, é também uma oportunidade de uma nova geração que não viu o Charlie Brown ao vivo poder conhecer o trabalho do grupo. "O Charlie Brown, incrivelmente, vem renovando o seu público naturalmente, organicamente", disse Britto.
Na noite desta terça-feira (9), que seria aniversário de 49 anos de Chorão, a banda fez uma apresentação para convidados na Audio, na zona oeste de São Paulo. O show teve a participação especial de Mark Heylmun, do Suicide Silence, que era uma das grandes inspirações de Chorão.
A apresentação de São Paulo no dia 13 de julho será no Espaço das Américas, no Dia Mundial do Rock, dentro de evento promovido pela rádio 89. CPM22, Marcelo D2 e Far From Alaska também se apresentam na data.
O guitarrista Thiago Castanho, que também era parte da formação clássica do grupo, não deve participar da turnê. Em janeiro, ele se envolveu em uma polêmica com o filho de Chorão, que tinha anunciado a volta do grupo. "Charlie Brown Jr. não vai voltar porque Charlie Brown Jr. sem Chorão não existe. (...) Não faço parte desse tributo. Paz.", afirmou na ocasião. Em seguida, Abrão pediu desculpas ao guitarrista e explicou que a intenção não é criar uma banda nova.

HISTÓRIA


O Charlie Brown Jr. colecionou hits entre o fim dos anos 1990 e o início dos anos 2000, como "Proibida pra Mim", regravada pelo cantor Zeca Baleiro, "Quinta-Feira", "Zoio de Lula", Só por uma Noite" e "Te Levar Daqui" -que foi tema de abertura da novela teen "Malhação", da Globo, entre 1999 e 2006.
Em 2013, Chorão foi encontrado morto em seu apartamento em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. Laudo da Polícia apontou que ele morreu de overdose de cocaína.
Seis meses depois, Champignon foi encontrado morto em seu apartamento em São Paulo. Segundo laudo posterior, ele cometeu suicídio com um tiro na boca e foi encontrado por um morador de um apartamento vizinho.
Folhapress Após apresentação no aniversário de São Paulo, no dia 25 de janeiro deste ano, no Vale do Anhangabaú, o Charlie Brown Jr. anunciou nesta terça-feira (9) show no Rock in Rio e uma turnê pelo país, que começa no dia 13 de julho, na capital paulista.
Responsável pela iniciativa, Alexandre Abrão, filho de Chorão, líder da banda que morreu em 2013, a ideia é fazer uma celebração do legado do grupo. "O intuito da turnê não é lançar disco, nada disso, é literalmente pegar a história do Charlie Brown, que é grande, linda e magnífica, e trazer para 2019, 2020, 2021", disse.
Ele não descartou, no entanto, a possibilidade da turnê "Tamo Aí Na Atividade: Celebração ao Charlie Brown Jr" ser transformada em DVD. "A gente pode continuar a história, com CD, DVD, mas com muito respeito ao passado. Não vamos lançar nada novo que não tenha a ver com o meu pai ou com o Champignon. Tudo que a gente for lançar já foi pré-gravado ou pelo meu pai ou por ele", explicou Abrão, em referência ao baixista Champingon, também morto em 2013.
Além de São Paulo, pelo menos outras 22 cidades devem receber o grupo: Santos (SP), Rio de Janeiro, Porto Alegre, Caxias do Sul (RS), São José dos Campos (SP), Ribeirão Preto (SP), Belém, Salvador, Vitória, Curitiba, Londrina (PR), Maringá (PR), Belo Horizonte, Juiz de Fora (MG), Brasília, Goiânia, Fortaleza, Governador Valadares (RJ), Cuiabá, Campo Grande, Florianópolis e São Luís.
Na capital carioca, o grupo vai tocar no dia 28 de setembro no palco Rock District do Rock in Rio, e também no dia 27 de julho, no Engenhão. A cidade de Santos, onde a banda nasceu, terá uma apresentação especial, provavelmente na praia.
Com exceção do Rio e de São Paulo, as outras datas dos shows não foram anunciadas. A turnê pode se estender até 2020.
Além de Abrão, farão parte dos shows os músicos Marcão Britto (guitarra), Heitor Gomes (baixo) e Pinguim Ruas (bateria), que faziam parte da formação original do Charlie Brown Jr. No vocal, será feito um rodízio de músicos. Já foi anunciado também que Panda, vocalista do La Raza, vai acompanhar a banda como uma espécie de mestre de cerimônias.
Marcão Britto destacou que as apresentações serão semelhantes a realizada no aniversário de São Paulo, em que um telão mostrou imagens antigas da banda e o público pôde interagir com o Chorão cantando. "Foi muito emocionante", afirmou.
"O Charlie Brown vai ser mantido no lugar em que ele está. O que a gente está fazendo é uma celebração de toda a nossa história. Podemos levar isso para o público agora da melhor maneira possível, e de uma forma diferente do que a gente já fez", completou o guitarrista.
Para os integrantes da banda, é também uma oportunidade de uma nova geração que não viu o Charlie Brown ao vivo poder conhecer o trabalho do grupo. "O Charlie Brown, incrivelmente, vem renovando o seu público naturalmente, organicamente", disse Britto.
Na noite desta terça-feira (9), que seria aniversário de 49 anos de Chorão, a banda fez uma apresentação para convidados na Audio, na zona oeste de São Paulo. O show teve a participação especial de Mark Heylmun, do Suicide Silence, que era uma das grandes inspirações de Chorão.
A apresentação de São Paulo no dia 13 de julho será no Espaço das Américas, no Dia Mundial do Rock, dentro de evento promovido pela rádio 89. CPM22, Marcelo D2 e Far From Alaska também se apresentam na data.
O guitarrista Thiago Castanho, que também era parte da formação clássica do grupo, não deve participar da turnê. Em janeiro, ele se envolveu em uma polêmica com o filho de Chorão, que tinha anunciado a volta do grupo. "Charlie Brown Jr. não vai voltar porque Charlie Brown Jr. sem Chorão não existe. (...) Não faço parte desse tributo. Paz.", afirmou na ocasião. Em seguida, Abrão pediu desculpas ao guitarrista e explicou que a intenção não é criar uma banda nova.

HISTÓRIA

O Charlie Brown Jr. colecionou hits entre o fim dos anos 1990 e o início dos anos 2000, como "Proibida pra Mim", regravada pelo cantor Zeca Baleiro, "Quinta-Feira", "Zoio de Lula", Só por uma Noite" e "Te Levar Daqui" -que foi tema de abertura da novela teen "Malhação", da Globo, entre 1999 e 2006.
Em 2013, Chorão foi encontrado morto em seu apartamento em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. Laudo da Polícia apontou que ele morreu de overdose de cocaína.
Seis meses depois, Champignon foi encontrado morto em seu apartamento em São Paulo. Segundo laudo posterior, ele cometeu suicídio com um tiro na boca e foi encontrado por um morador de um apartamento vizinho.

Fonte Folhapress

Postar um comentário

0 Comentários