Fani Pacheco fala sobre experiências de relações e mostra o corpão

Patrocínio

Fani Pacheco fala sobre experiências de relações e mostra o corpão

Foto: Ale Pires
Solteira desde maio do ano passado, Fani Pacheco acredita que para se relacionar novamente é preciso realmente aparecer a pessoa ideal. A ex-BBB, que chegou a ficar noiva duas vezes, e já se envolveu com mulheres, conta que, inclusive, entrou em aplicativos de relacionamento. Entretanto, logo desistiu da ideia. "Fani é um nome muito comum, cogitei a ideia de colocar apelidos, mudar a foto, mas aí eu estaria enganando a pessoa e desinstalei o app", conta, em entrevista a uma revista de celebridades.
Ela, que, se relacionou por pouco tempo com a colega de confinamento, Nati Casassola, em 2014, não descarta nada. "Tive experiências com mulheres, mas não a ponto de ser sério. Para me relacionar, prefiro homens. Ainda não me apaixonei por mulheres", afirma.
Aceitaria uma relação aberta? "Na verdade é o que melhor se encaixa nesse meu momento de auto-descoberta, mas não é meu objetivo esse tipo de relação. É paliativo (risos). Gosto de ter alguém fixo, de dividir e trocar com uma única pessoa de preferência".

Foto: Ale Pires

E quando faz um balanço de seus relacionamentos, ela constata: "Não tem receita... Em cada fase estou procurando algo diferente numa relação. E sempre foi assim. A primeira vez que estive noiva, publicamente, nos amávamos muito e íamos casar, mas fui racional, eu tinha somente 28 anos e senti que ainda não estava pronta pra casar. Terminei e sofri muito, emagreci 10 quilos na época de tanto que sofri, mas fiz o melhor pra mim. Ele era a pessoa certa, num momento da minha vida em que eu não estava preparada".
Segundo Fani, ela está em processo de autoconhecimento. "Tive que aprender a me amar em primeiro lugar. Desde a infância minha mãe vinha antes de mim e meu amor próprio, através dela. Ainda estou nessa fase de construção dessa nova Fani, que só tem ela mesma pra cuidar. Hpje vejo que é muito mais difícil cuidar de mim do que era da minha mãe", fala. "Essa Fani primeiro precisa saber que tipo de homem ela realmente quer pra formar uma família. A psicoterapia vem me ajudando na desconstrução e construção das minhas referências e padrões de conceitos de família. Estou quase completa, download de 90%”, brinca.

Boa forma e procedimentos estéticos

Enquanto a pessoa certa não vem, ela continua focando nos estudos (está no quarto período de Medicina) e cuidando da saúde física com dieta, malhação e procedimentos estéticos. "Já fazia botox preventivo desde 28 anos com meu cirurgião plástico e desde o ano passado, passei a fazer rejuvenescimento e harmonização facial com minha dermatologista, não somente com botox, mas também com ácido hialurônico, a técnica MD codes. Sempre fui a favor da prevenção", explica ela, que colocou silicone em 2008 e já fez lipo duas vezes.


Foto: Ale Pires
Fani também é categórica quando o assunto é igualdade dos sexos. "Ser feminista pra mim significa, literalmente, direitos iguais e é o que pratico desde os meus 14 anos, sendo compreendida ou rotulada. Sempre me importei em ser o que me fazia feliz, independente de pedras da sociedade. Acho que qualquer movimento único ou em conjunto, se é genuíno é válido e deve ser respeitado. Não devo julgar algum possível exagero, cada um sabe a sua dor", acredita.
Vista como sexy symbol, a ex-BBB não se incomoda de ser chamada de gostosa. "Se for algo caliente que soe como um elogio, não me incomodo. É um elogio, mulheres fazem isso com homens também. Acho que tudo deve ter uma dose de bom senso".

Fonte Revista Glamour

Postar um comentário

0 Comentários