Grupo armado invade gravação de clipe de rapper francês e fere equipe com tiros e socos - Lully FM - La Profundidad 88.1

quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Grupo armado invade gravação de clipe de rapper francês e fere equipe com tiros e socos

Rapper Booba
Um grupo com armas de fogo e tacos de beisebol feriu várias pessoas durante as filmagens de um videoclipe do polêmico rapper francês Booba.
Cerca de 15 pessoas participaram do ataque, que ocorreu pouco antes da meia-noite de terça-feira (20), no subúrbio parisiense de Aulnay-sous-Bois. Um homem foi atingido com um tiro na coxa, mas não corre risco de morte.
Além deste, várias outras pessoas ficaram feridas, como o diretor do clipe, Chris Macari, e um técnico que foram espancados.
As filmagens aconteciam em uma zona industrial da cidade e Booba, de 42 anos, não estava no local no momento do ataque. O músico é um dos maiores astros do rap na França.
O Ministério Público de Bobigny abriu uma investigação para apurar o incidente, pelo qual ninguém foi preso até o momento.
Na véspera, o cantor esteve nas gravações ocorridas em Nanterre, para o clipe de “Glaive”. Na música, ele insulta o rapper belga Damso, com quem tem divergências.

Confronto no aeroporto

Booba – que vive em Miami – já havia se envolvido em um caso policial no ano passado, quando protagonizou um escândalo com outro rapper, Kaaris, de 39 anos, seu maior concorrente.
Os dois brigaram a socos no aeroporto parisiense de Orly e tiveram de passar três semanas na prisão, além de pagar uma multa de € 500 mil cada.
Booba e Kaaris marcaram então um encontro na Suíça para um combate de MMA, para resolver suas diferenças. Mas as autoridades suíças anunciaram nesta semana que retiraram a autorização inicialmente concedida para a realização do confronto.
Kaaris, de origem marfinense, prometeu que beberia o sangue de seu rival, ao que Booba respondeu: "Vou te matar a golpes".

Atividades diversificadas

A exemplo do americano Jay-Z, Booba diversificou as atividades e abriu a grife de roupas Unkut, uma marca de whisky e outra de perfume, nas quais exibe o visual musculoso e tatuado. Desde 2002, Elie Yaffa – seu verdadeiro nome – já lançou nove álbuns e vendeu mais de 2 milhões de discos, apesar das letras conhecidas pela violência e a misoginia.

Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!

Fonte G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!