• Sem espaço na Record, jornalistas denunciam ações de Bolsonaro nas redes sociais

    Adriana Araújo alertou para a “cortina de fumaça” criada pelo Governo Bolsonaro
    Orientados pela direção de jornalismo da Record a pegar leve na cobertura do novo coronavírus no país, os jornalistas da emissora vêm usando suas próprias redes sociais para alertar a população sobre a gravidade da doença e também para denunciar medidas adotadas no governo de Jair Bolsonaro para desviar a atenção do problema.
    Âncora do Jornal da Record, Adriana Araújo gravou um vídeo no Instagram na última sexta-feira (5) para criticar o atraso na divulgação dos números de mortes no país pelo Ministério da Saúde, atitude que prejudicou a repercussão dos dados nos jornais exibidos à noite e que, para a jornalista, representa falta de transparência do governo federal.
    “[Esses números] deveriam ser divulgados com mais agilidade, mais transparência, mas no momento não é o que está acontecendo. Como funcionária da notícia antes de tudo, eu me sinto na obrigação de vir aqui e dizer pra vocês. Saber da gravidade da situação é muito importante, pra que cada um de nós possa se proteger ao máximo, pra tomar decisões no nosso cotidiano”, defendeu.
    Repórter de Brasília do Jornal da Record, Clébio Cavagnolle também usou o seu perfil no Facebook na sexta-feira (5) para alertar sobre a gravidade da Covid-19 e tecer críticas ao governo. O jornalista afirmou que estava se manifestando não como um representante da empresa pela qual é subordinado, mas como um cidadão independente.
    “Me desculpe! Esse é o destino de todos nós? Sim! Mas, não precisa ser antecipado por um vírus e uma doença cruel. Mais de mil mortes por dia não é normal! Não é aceitável! Sinto muito se você perdeu o amor ao próximo, se você não liga para a dor dos outros… para mim, não é aceitável! 35 mil mortos… não é acaso! Não é normal! Não está tudo bem”, desabafou Clébio, em resposta a uma fala recente de Bolsonaro, que ao lamentar as mortes provocadas pelo coronavírus ponderou que este é “o destino de cada um”.




    Baixe nosso App na Play Store, siga-nos em nossas redes sociais, Facebook, Instagram e Twitter. Venha fazer parte da família Lully FM!

    Fonte Rd1

    Nenhum comentário

    Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!