J.K. Rowling é "cancelada" ao lançar livro sobre travesti
  • J.K. Rowling é "cancelada" ao lançar livro sobre travesti

    Ilustração

    Longe de querer encerrar a polêmica que lhe rendeu fama de transfóbica, a escritora J.K. Rowling, criadora de Harry Potter, resolveu acirrar ainda mais os ânimos da comunidade LGBTQ+ com o lançamento de um livro sobre um assassino travesti. 
    Intitulado Troubled Blood, o livro faz parte da coleção de mistérios do detetive Cormoran Strike, que Rowling escreve sob o – contraditório, no contexto – pseudônimo masculino de Robert Galbraith. O lançamento acontece nesta terça-feira (15/9), mas bastou sua sinopse para diversas manifestações negativas originarem a hashtag #RIPJKRowling, decretando a morte – ou o cancelamento definitivo – da escritora.
    O jornalista Jake Kerridge, que resenhou o livro para o jornal britânico The Telegaph, foi um dos primeiros a alertar que Troubled Blood tem uma "subtrama de fazer os críticos de Rowling fumegarem de raiva". A moral do livro, de acordo com a avaliação de Kerridge, é "nunca confie em um homem de vestido".
    Na história, Cormoran Strike investiga um caso ocorrido em 1974, em que o desaparecimento de uma mulher parece relacionado a um serial killer que se veste de mulher.
    A descrição remete a um dos argumentos utilizados por Rowling para atacar o que ela chama de "ativismo trans".
    Dizendo que seu ponto de vista era feminista, ela escreveu em junho no seu blog: "Eu me recuso a me curvar a um movimento que eu acredito estar causando um dano demonstrável ao tentar erodir a 'mulher' como uma classe política e biológica e oferecer cobertura a predadores como poucos antes dele… Quando você abre as portas dos banheiros e dos vestiários para qualquer homem que acredite ser ou se sinta mulher – e, como já disse, os certificados de confirmação de gênero agora podem ser concedidos sem a necessidade de cirurgia ou hormônios –, você abre a porta a todo e qualquer homem que deseje entrar. Essa é a verdade simples".
    Por conta dessas posições, ela foi criticada pelos três astros dos filmes de Harry Potter, Daniel Radcliffe, Emma Watson e Rupert Grint, bem como pelo protagonista do prólogo Animais Fantásticos, Eddie Redmayne, e ainda ganhou uma lição de Nicole Maines, estrela de Supergirl que vive a primeira super-heroína transexual da TV. Maines, que aos 15 anos foi proibida de frequentar o banheiro de sua escola, escreveu um longo ensaio para demonstrar que a falta de fundamento dos argumentos de Rowling expressavam apenas preconceito.
    Amanda Arnold, do site The Cut, sintetizou o problema, num artigo publicado nesta segunda (14/9). "Depois de escrever a série de livros infantis mais vendidos da História, poderia-se imaginar que JK Rowling sairia dos holofotes para buscar uma vida mais tranquila e confortável. Em vez disso, nos últimos nove meses, a autora de Harry Potter decidiu direcionar sua energia para multiplicar suas opiniões não solicitadas sobre mulheres trans - ou seja, sua crença de que mulheres trans não se qualificam de fato como mulheres".
    Os maiores fã-clubes de Harry Potter já tinham renegado a autora, afirmando que não divulgaria nenhuma de suas ações que não tivessem relação ao universo do bruxinho. Em julho, os sites da MuggleNet e The Leaky Cauldron, duas das maiores e mais bem estabelecidas comunidades de fãs do universo infantil da autora, divulgaram um comunicado conjunto em apoio a pessoas trans e rejeitando os comentários transfóbicos reiterados por Rowling. "Embora seja difícil falar contra alguém cujo trabalho há tanto tempo admiramos, seria errado não usar nossas plataformas para combater os danos que ela causou", diz o texto.
    Como a escritora se mantem obcecada em alimentar cada vez mais a polêmica, a Warner não sabe o que fazer em relação a Animais Fantásticos 3, que perdeu cronograma de filmagens, embora estivesse em pré-produção quando a pandemia paralisou seus trabalhos. Para complicar, o filme pode ser estrelado por Johnny Depp, que é outro que insiste em jogar sua imagem na lama, levando escândalos pessoais para julgamentos públicos.
    0A pandemia pode ser uma boa desculpa para o estúdio cancelar a produção.

    Baixe nosso App na Play Store, siga-nos em nossas redes sociais, Facebook, Instagram e Twitter. Venha fazer parte da família Lully FM!

    Pipoca Moderna Pipoca Moderna

    Nenhum comentário

    Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!

    Seguir por E-mail