Brasil tem maior média de mortes desde agosto

Brasil tem maior média de mortes desde agosto

Ilustração
O consórcio de veículos de imprensa divulgou novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, consolidados às 20h deste domingo (10).
O país registrou 483 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas, chegando ao total de 203.140 óbitos desde o começo da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias foi de 1.016, a maior nos últimos cinco meses --desde 11 de agosto. A variação foi de +65% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de crescimento nos óbitos pela doença
Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 8.104.823 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 29.153 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 53.250 novos diagnósticos por dia, recorde desde que os dados começaram a ser medidos. Isso representa uma variação de +54% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de crescimento também nos diagnósticos.

Vacinação com a Coronavac

Após reunião com o Instituto Butantan, realizada na sexta-feira, o Ministério da Saúde informou que as 100 milhões de doses da Coronavac adquiridas pela pasta serão distribuídas simultaneamente para todos os Estados.
Em nota, o ministério informou que todas as doses serão incorporadas ao Plano de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19.
"Assim, brasileiros de todo o país receberão a vacina simultaneamente, dentro da logística integrada e tripartite, feita pelo Ministério da Saúde e as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde", informou a pasta.

Vacina da BioNTech e da Pfizer

A farmacêutica alemã BioNTech informou hoje que pretende produzir até 2 bilhões de doses de sua vacina contra covid-19 em 2021, depois de receber autorização de uso emergencial tanto nos Estados Unidos como na União Europeia.
Em um documento entregue aos reguladores, a empresa disse que já tem pedidos para mais de 1 bilhão de doses da vacina em 2021, que é desenvolvida em parceria com a Pfizer. A vacina está sendo produzida em seis fábricas. Cerca de 33 milhões de doses já foram entregues.

Papa Francisco

O Papa Francisco, de 84 anos de idade, afirmou que deve tomar a vacina contra a covid-19 na próxima semana e criticou quem se opõe à vacinação. As declarações foram dadas em entrevista à rede Canale 5, no sábado.
"Na próxima semana começaremos [a vacinação], já tenho minha data", disse. "Temos que fazê-lo", insistiu o pontífice argentino, para quem "há um negacionismo suicida que não consigo explicar".
"Acredito que do ponto de vista ético todos devem ser vacinados, porque você não só põe em risco a sua saúde, a sua vida, mas também a dos outros", seguiu.
"Não sei por que alguns dizem 'não, a vacina é perigosa', mas se os médicos a apresentam como algo que pode ser bom, que não apresenta riscos particulares, por que não fazê-lo?", questionou o pontífice.
Na entrevista, o papa também afirmou que pessoas que trabalham contra a democracia devem ser condenadas, independentemente de quem elas sejam, e que lições devem ser aprendidas sobre a invasão do Congresso dos Estados Unidos por apoiadores do presidente Donald Trump na quarta-feira (6).

Baixe nosso App na Play Store, siga-nos em nossas redes sociais, Facebook, Instagram e Twitter. Venha fazer parte da família Lully FM!

Fonte Valor Invest

Post a Comment

Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!

Postagem Anterior Próxima Postagem