Cinema

[Cinema][bsummary]

Esporte

[Esporte][bigposts]

Folietims

[Folietim][twocolumns]

Ex- Angra explica porque novo álbum não será lançado no Brasil

Divulgação 
Por que o novo Blu-Ray ao vivo de 
Edu Falaschi, "Temple of Shadows in Concert", não foi lançado no Brasil? O vocalista, ex-Angra, já explicou a situação em entrevistas anteriores, mas o baterista Aquiles Priester ofereceu um ponto de vista diferente ao caso.
Em participação no Podihhcast com falas transcritas por nossa redação, Priester, que integrou o Angra entre 2001 e 2007, afirmou que os músicos creditados como autores das canções originais "não querem liberar" o lançamento de "Temple of Shadows in Concert" no Brasil. Até agora, o produto que traz a execução na íntegra do álbum "Temple of Shadows" (2004) com orquestra saiu apenas no Japão.
O baterista disse, ainda, que não houve liberação "porque eles (responsáveis pelo Angra) viram a qualidade que tem o produto". "Os autores das músicas lá no Angra não querem liberar, não querem chegar a um acordo financeiro para que seja lançado no Brasil, porque eles viram a qualidade que tem o produto. Eles sabem que se isso for lançado no Brasil, vai ser de fácil acesso para todos", afirmou.
O baterista complementou: "As pessoas vão comparar: isso aqui é o Edu, o Aquiles e o Fabio Laguna (tecladista), com o Roberto Barros (guitarrista), Diogo Mafra (guitarrista) e Raphael Dafras (baixo), com uma p*ta orquestra, fazendo o show mais importante da história do heavy metal brasileiro".
Aquiles observou que o Angra também tentava lançar um DVD ao vivo gravado na turnê do álbum "Omni". A banda desistiu de liberar a gravação do show em formato físico, disponibilizando apenas vídeos na internet, porque a qualidade do registro não teria atendido às expectativas. Entretanto, eles voltaram atrás e resolveram divulgar o produto físico.
"Eles estavam tentando lançar outro produto que, pelo que eu sei agora, não lançaram mais, não finalizaram em DVD e só quiseram lançar na internet, pois acharam que o DVD deles não ficou em uma qualidade boa", disse.

Questão de direitos autorais

Em seguida, Aquiles Priester afirmou que há uma questão "mal resolvida" relacionada a direitos autorais dele e de Edu Falaschi. O baterista disse que, assim como o vocalista, ainda não recebeu rendimentos da banda relacionados às plataformas digitais.
"Tem outra coisa que ficou mal resolvida. Em 2015, quando fiz o Rock in Rio, os guitarristas da banda foram lá, pediram para bater uma foto para publicar e dizer que estava tudo bem entre a gente. Falaram: 'daqui uns 3 meses, no máximo, a gente vai resolver esse negócio de direitos autorais'. Até hoje, não foi feito", afirmou.
"O músico continuou: "As músicas que eu toquei no Angra, nesses discos clássicos, estão sendo consumidas em todas as plataformas. Tem uma grana que está retida. Mas o pagamento não acontece. É muito estranho isso, eles não querem que o produto seja lançado, mas também não querem acertar as contas que eles têm que acertar".
Foi mencionada ainda outra dívida que, segundo ele, teria "caducado" - ultrapassado o prazo de cobrança. "A dívida lá de trás, eu nem ligo mais, porque o contrato já caducou. Agora, esse das plataformas... tem uma mensagem de um dos membros originais da banda dizendo: 'a partir dessa data, a gente está liberando todas as músicas, todos os álbuns que você gravou (no streaming) e a partir daqui, assim que chegamos a um acordo, vamos repassar a sua parte'. Isso foi há 5 anos e, até agora, eu e o Edu fomos os únicos a não colocar a mão nessa grana", disse.

Nosso show é foda

Concluindo o assunto, o baterista destacou que não estava em seus planos voltar a tocar material do Angra em shows. Até então, o músico estava dedicado a outros projetos, como o Hangar e a banda solo do guitarrista Tony MacAlpine.
"Eu nunca pensei que iria voltar a tocar Angra. Era uma coisa que já estava resolvida na minha vida. Mas o Edu veio com essa ideia, eu falei: 'por que não?'. Ele disse para fazermos oito shows e vermos no que vai dar. Foi uma comoção, muita gente não tinha visto eu e o Edu tocando junto essas músicas", afirmou.
O músico, então, declarou: "Modéstia à parte, nosso show é f*da. Tem uma necessidade nossa de provar o show que entregamos todos os dias. Noventa por cento do fã de metal no show também é músico, ele entende. Aí ele compara os dois shows: 'fui lá no show do Angra e agora estou indo na Rebirth of Shadows, com o Edu, Fabio Laguna e Aquiles'. A galera percebe a diferença".
Por fim, aos risos, Aquiles disse: "O dinheiro foi feito para ser gasto, então paga a minha parte para eu gastar também".

Baixe nosso App na Play Store, siga-nos em nossas redes sociais, Facebook, Instagram e Twitter. Venha fazer parte da família Lully FM!

Fonte Whiplash

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!

Portal

[Portal][twocolumns]

Cultura

[Cultura][bsummary]