Tesouros dos Nossos Ancestrais: masterclass sobre educação e o trabalho pedagógico a partir da ancestralidade é o destaque da semana

Tesouros dos Nossos Ancestrais: masterclass sobre educação e o trabalho pedagógico a partir da ancestralidade é o destaque da semana

Divulgação
Projeto acontece de forma online e culminará com exclusiva mostra de peças do acervo do Rei OOni de Ifé

Nesta quarta, 05 de maio, o projeto Tesouros dos Nossos Ancestrais, traz à cena, uma masterclass que discutirá o trabalho pedagógico realizado a partir da ancestralidade, tema importante que será abordado a partir da perspectiva da professora Dra. Kiusam Regina de Oliveira, de São Paulo. Experiente no assunto, Kiusam ingressou no M.N.U. (Movimento Negro Unificado) em 1980, quando tinha 15 anos. Cursou Magistério de segundo grau, Pedagogia com habilitações em Administração Escolar, Orientação Educacional e Deficiência Intelectual (FSA e USP). Mestra em Psicologia e Doutora em Educação (USP), ela viaja por todo o Brasil formando educadores em assuntos focados nas relações étnico-raciais e práticas pedagógicas capazes de libertar pessoas dos preconceitos e práticas racistas. Por treze anos foi gestora pública na secretaria de educação de Diadema/SP, chefiando a Educação Especial e Implementando a lei 10.639/03 (até 2016). Escritora premiada (PROAC, ONU), tem como o mais recente lançamento “O Black Power de Akin", pela Editora de Cultura, obra que dá continuidade às suas abordagens nas temáticas dos direitos humanos e relações étnico-raciais para o público infantil. A masterclass é gratuita e os interessados podem inscrever-se nesta ou em outras atividades do projeto através do link https://linktr.ee/casaheranca


Patrocinado pela Lei Aldir Blanc, Tesouros dos Nossos Ancestrais conta com atividades semanais de forma online, sempre apontando nortes, óticas e efetuando debates de forma a enobrecer a ancestralidade e saberes, e como estes conhecimentos são perpetuados e reproduzidos até os tempos atuais de modo consciente ou inconsciente.

Diversas ações estão programadas para o projeto que será conduzido virtualmente devido à pandemia da COVID19. Além das rodas de conversa, as masterclasses serão palco para as discussões, que antecedem a exposição de peças do acervo particular de sua Majestade, o rei OOni de Ifé. A coleção imperial de arte iorubá conta a história de Oduduwa e seus descendentes através de esculturas produzidas na vasta terra iorubá, por artistas de povos como Egba, Oyo, Ifé, Ijexa entre outros. São obras milenares e contemporâneas que chegaram a ser extraviadas do continente africano durante o processo de colonização dos séculos XIX e XX e que,  posteriormente recuperadas, serão exibidas pela primeira vez ao público a partir de junho.

Entre obras milenares e contemporâneas, um verdadeiro tesouro histórico, religioso e cultural, será mais uma importante forma de aproximar as culturas, auxiliando o povo brasileiro a conhecer melhor suas origens, heranças, histórias e até feições, possibilitando este intercâmbio cultural entre povos irmãos, trabalho que vem sendo feito de forma intensa pela Casa Herança de Ododuwa, através de palestras e cursos oferecidos, atualmente de forma virtual.

“Não existe caminho possível para o futuro da humanidade sem olhar para o continente africano e compreender o legado que nossos ancestrais nos deixaram. Sem dúvida, é essa herança que irá auxiliar a construirmos juntos um mundo melhor para todos. Nossos ancestrais deixaram conhecimento vitais para os problemas da humanidade e tenho certeza de que o futuro é ancestral”, conta Ooni de Ifé – rei de Ilê Ifé/Nigéria.

Pensado primeiramente para ser uma um evento presencial, “Tesouros dos Nossos Ancestrais: arte iorubá” é resultado de um esforço pessoal do rei de Ifé, Ojaja II, atualmente a maior autoridade tradicional e religiosa do povo iorubá, que originariamente habitava o Reino de Ifé e reinos ao redor, áreas atualmente do Benin e da Nigéria. Com curadoria de Carolina Maíra de Morais, o projeto, que será realizado totalmente online, abarca, além da exposição virtual, dinâmicas que envolvem rodas de conversas e masterclass com estudiosos e personagens que são referências importantes dentro do segmento artístico-histórico-cultural preto.

“Como historiadora, é uma honra acompanhar este processo curatorial e ver a arte transbordar para vida, porque não estamos apenas falando de objetos de arte, estamos falando de epistemologias, estética, filosofia, concepção de mundo a partir da visão iorubá, e como esse conhecimento múltiplo é atravessado pela ancestralidade,” relata Carolina Maíra Morais, quem comanda a Comissão Curatorial .

A programação completa do evento poderá ser acessada no perfil oficial da Casa Herança Oduduwa no Instagram (https://www.instagram.com/casaherancadeoduduwa)


Baixe nosso App na Play Store, siga-nos em nossas redes sociais, Facebook, Instagram e Twitter. Venha fazer parte da família Lully FM!

Post a Comment

Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!

Postagem Anterior Próxima Postagem