Renata Del Bianco fala sobre sua bissexualidade

Renata Del Bianco fala sobre sua bissexualidade

Foto: Ginga Assessoria

Renata Del Bianco, 35 anos de idade, mostra seu dia a dia sem filtros nas redes sociais. Recém recuperada da Covid-19, a atriz e modelo se diz realizada como mãe de Aurora, que completa 3 anos em julho, do casamento com o designer Daniel Simonini.

Lembrada pelo público como a órfã Vivi da primeira versão nacional de Chiquititas (SBT, 1997), Renata afirma que não teve problemas ao falar sobre a bissexualidade ao marido. "Sempre fui muito transparente. Eu não sei mentir. E, hoje em dia, é tão fácil buscar informações sobre alguém. Se ele fizer uma pesquisa rápida vai encontrar sobre meus trabalhos, sobre affairs, inclusive sobre sexualidade… Não tenho que esconder, nem sentir vergonha. Eu sou bem resolvida, sabe? E quem está comigo também tem que ser", diz.

Ao comentar o assunto, a atriz, que também trabalha como veterinária, lembrou a forte repercussão do ensaio sensual que realizou com a ex-BBB Angélica Morango em 2010. "Eu lidava com o público infantil até aquele momento. Foi uma mudança de chave para mim. Até então, as pessoas me viam apenas como a menininha que fez Chiquititas e ponto. Quando mostrei esse lado mais sensual, assustou um pouco, mas foi legal".

Você fez um post falando sobre a bissexualidade. Acredita que isso ainda seja um tabu na sociedade?
Claro que é, com certeza. Na nossa sociedade, ou você gosta de homem, ou gosta de mulher. As pessoas, no geral, são muito quadradinhas. Digamos que nos dias de hoje está muito melhor do que já foi no passado, mas ainda está longe da aceitação total das pessoas. Meus pais sempre foram muito "pra frente" da geração deles, então, nunca tive muito problema em abordar o assunto. Porém, com pais de amigos, nunca foi uma tarefa fácil.

Quando você teve um affair com a Angélica Morango existiu muita repercussão. Se assustou com o tamanho da proporção?
Muito! Mais por conta do assédio, de homens, mulheres... Era um universo novo para mim. Eu lidava com o público infantil até aquele momento. Foi uma mudança de chave para mim. Até então, as pessoas me viam apenas como a menininha que fez Chiquititas e ponto. Quando mostrei esse lado mais sensual, me assustou um pouco, mas foi legal.

Chegou a ter alguma chateação por escutar que "a chiquitita não sabe mais o que fazer para voltar a mídia"? Duvidaram de seus sentimentos?
Ah, sempre tem uns babacas, mas não me afetam não. Eu não faço tudo para aparecer. Só vou vivendo minha vida e se isso afeta alguém, a culpa não é minha. Trabalho como modelo fotográfica há anos e parece que eu só fiz Chiquititas, mas não. Com a Angélica Morango era apenas mais um trabalho, rolou sintonia, nos tornamos amigas e somos amigas até hoje.

Você chegou a ter outras experiências com mulheres?
Algumas vezes… Tive dois relacionamentos em que chegamos a morar juntas, mas com o tempo, o amor se tornou amizade.

Tinha um diálogo aberto com sua família sobre sexualidade?
Principalmente com a minha mãe e minhas primas mais velhas. Meu pai é um pouco mais conservador.

Você já contou algumas vezes em que seu marido não te conhecia pelo seu trabalho no meio artístico. Quando começaram a namorar você contou toda trajetória a ele? Ficou com receio da reação dele ao saber de determinada fase da sua vida?
Sempre fui muito transparente. Eu não sei mentir. E, hoje em dia, é tão fácil buscar informações sobre alguém. Se ele fizer uma pesquisa rápida vai encontrar sobre meus trabalhos, sobre affairs, inclusive sobre sexualidade… Não tenho que esconder, nem sentir vergonha. Eu sou bem resolvida, sabe? E quem está comigo também tem que ser.

Acredita que a Aurora crescerá em uma sociedade menos preconceituosa? Você se imagina como mãe aberta ao diálogo ou mais rígida?
Não tenho como não falar que sinto um pouco de medo dos rumos que a sociedade no geral vem tomando. Os tempos são obscuros… Temos que ter esperança. Se compararmos com 20 anos atrás, o mundo no geral está mais empático, mas a luta continua. Talvez ainda não na geração da minha filha Aurora, mas na próxima tenhamos muito mais respeito, muito mais aceitação. A Aurora é livre, ela aprende na base do amor. Tenho amigos trans que conheceram ela e ela respeitou totalmente. Fiquei orgulhosa.

Baixe nosso App na Play Store, siga-nos em nossas redes sociais, Facebook, Instagram e Twitter. Venha fazer parte da família Lully FM! 

Fonte Revista Quem

Post a Comment

Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!

Postagem Anterior Próxima Postagem