Vanessa Jaccoud fala sobre Setembro Amarelo - "Toda Vida Importa!"

Vanessa Jaccoud fala sobre Setembro Amarelo - "Toda Vida Importa!"

Divulgação

O Setembro Amarelo é o mês dedicado à prevenção e conscientização contra o suicídio. 

Os números crescentes - aproximadamente 12 mil no Brasil e mais de 1 milhão no mundo, por ano - alertam para a importância de se falar sobre o tema, apesar dos tabus e preconceitos, para evitar a perda de vidas, aprender a identificar sinais de ideação suicida, ajudar ou indicar ajuda.

O suicídio é um fenômeno complexo e multifatorial e o aumento no número de casos, durante a pandemia, pode estar ligado a diferentes fatores como: medo, isolamento, solidão, desesperança, ansiedade, depressão, morte de parentes e amigos, dificuldade de acesso ao tratamento da saúde mental, doenças e outros problemas de saúde.  Se a presença de um transtorno mental é um risco para o suicídio, o agravamento de seus sintomas durante o isolamento pode se tornar ainda maior. Problemas financeiros e o aumento da violência doméstica, pela proximidade com os algozes, também contribuíram para o aumento nos índices.    
"O assunto é muito sério e precisa ser desmistificado, porque salva vidas. E quando se trata da população transgênero, tudo fica potencializado, pelas questões já conhecidas, como não aceitação na família, no ambiente escolar ou profissional, violência ou expulsão de casa, transfobia e falta de políticas sociais. Acredito que o caminho é deixar de discriminar as pessoas trans, porque enquanto a gente não verbalizar, as pessoas vão continuar se suicidando. Isso sem contar os números de homicídios no Brasil, de indivíduos LGBTQIA+, que são os maiores no mundo", explica  Vanessa Jaccoud, psicóloga clínica e criadora da Associação TRANquilaMENTE, voltada para a saúde mental de indivíduos transgêneros.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 90% dos casos de suicídio podem ser prevenidos. É preciso ter coragem de falar, de achar caminhos, de deixar de discriminar, de ajudar. Porque enquanto isso não ocorrer, as pessoas vão continuar sofrendo ou se suicidando. 

O Setembro Amarelo nasceu em setembro de 1994, nos Estados Unidos,  quando o jovem de 17 anos, Mike Emme, cometeu suicídio. Ele tinha um Mustang 68 amarelo e, no dia do seu velório, seus pais e amigos decidiram distribuir cartões amarrados em fitas amarelas com frases de apoio para pessoas que pudessem estar enfrentando problemas emocionais. N
o Brasil, foi criado em 2015, pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).


SOBRE DRA. VANESSA JACCOUD (CRP 05/47172)  


Psico-Oncologista, Psicossomatista e Psicóloga Clínica. Psicologia da Saúde. Especialista em Psico-Oncologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (FCMMG); Pós Graduada em Psico-Oncologia pelo CEPPS-SP; Especialista em Psicossomática (1º ambulatório com atendimento multiprofissional do mundo em Psicossomática) pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo; Formação em Dor Crônica pela University of Minnesota (USA); Formação em Neurologia clínica (Introductory) pela University of California-San Francisco (USA);
Certificação em Trauma Psicológico complexo e recuperação pela Harvard University- Medical School;
Formação em Primeiros Socorros Psicológicos pela Johns Hopkins University (USA); Formação em Saúde por todo o espectro de gênero pela Stanford University (USA). Membro Titulada pela SBPO (Sociedade Brasileira de Psico-Oncologia); Membro Certificada pela WPATH (World Professional Association for Transgender Health); Membro da Associação Brasileira de Medicina Psicossomática-SP. 
Certificação Excelência em Saúde Transgênero - Harvard Medical School
* Atualmente com certificação mundial em cuidados aos pacientes Transgêneros
Autora do livro "Transgeneridade: vivências na transcendência"
Fundadora da Associação TRANquilaMENTE para cuidados de indivíduos transgêneros

Instagram: @dravanessajaccoud  @associacaotranquilamente 
CVV 188    

Baixe nosso App na Play Store, siga-nos em nossas redes sociais, Facebook, Instagram e Twitter. Venha fazer parte da família Lully FM!

Assessoria de Imprensa:
Paula Ramagem

Post a Comment

Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!

Postagem Anterior Próxima Postagem