Cinema

[Cinema][bsummary]

Esporte

[Esporte][bigposts]

Folietims

[Folietim][twocolumns]

Sarah Oliveira: 'Liberdade de Britney Spears é simbólica para as mulheres'

Britney e Sarah em entrevista para MTV Brasil em 2001

Depois de 13 anos sob tutela do pai, Britney Spears finalmente está livre para fazer o que bem entender, aos 39. A tão sonhada liberdade —que conquistou com a ajuda do movimento de fãs do mundo todo, o Free Britney— foi anunciada ontem, após audiência no Tribunal Superior de Los Angeles.

A decisão da juíza Brenda Penny foi comemorada pela própria Britney e pelos admiradores da artista, entre eles a apresentadora Sarah Oliveira, do programa "Minha Canção", da Rádio Eldorado, e do podcast "Nós", do Spotify. Sarah é fã da cantora pop e acompanha sua carreira desde o início —em 2001, a brasileira entrevistou pessoalmente a norte-americana para a MTV Brasil.

"Como mulher, como mãe e como profissional do mundo da música, eu acho muito simbólica a liberdade dela", diz Sarah, a nossa redação.
"Os posts que ela está fazendo agora, mostrando que está solta, free, que pode ir a reunião de escola dos filhos... Que mulher que é mãe não quer isso? Ela não podia ir à esquina comprar um sorvete, não podia namorar em paz".
Em entrevista, Sarah conta que Britney foi vítima de diversos abusos desde menina e que, mesmo antes de ser submetida à tutela do pai, Jamie Spears, ela sentia falta de liberdade.

"Britney já sofria um abuso muito forte [antes da tutela]. Ela foi um fenômeno dos anos 2000 e sofria um abuso enorme da mídia e das pessoas em volta dela. Na entrevista que eu fiz com ela em 2001 [para a MTV Brasil], ela fala da música 'Overprotected', que estava lançando na ocasião, e conta que se sentia protegida demais", lembra.

"De uma maneira muito doce, ela disse que entendia a superproteção, mas que queria viver de uma maneira mais tranquila. Era muito nítida a necessidade dela de ser mais livre".

'Vitória também é dos fãs'


Para Sarah Oliveira, o episódio em que Britney raspou a cabeça e brigou com fotógrafos que a perseguiam, em 2007, foi uma "resposta" ao que vinha sofrendo.

"A liberdade é uma vitória da Britney, claro, e dos fãs também. Se não fosse o movimento Free Britney, a gente não teria conhecimento do que ela estava sofrendo. A partir de agora, ela só vai brilhar", acredita.

Baixe nosso App na Play Store, siga-nos em nossas redes sociais, Facebook, Instagram e Twitter. Venha fazer parte da família Lully FM!

Fonte Universa/Mariana Gonzales

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Curta nossa página no Facebook, Instagram e Twitter venha fazer parte da família Lully FM!

Cultura

[Cultura][bsummary]

Portal

[Portal][twocolumns]