Dirigente de escola de samba diz que Carnaval será "uma vitória da vida, mas a competição será forte" | Lully FM - La Profundidade 88.1

Dirigente de escola de samba diz que Carnaval será "uma vitória da vida, mas a competição será forte"

Luiz Claudio Ribeiro

Faltando pouco mais de um mês para o reencontro das escolas de samba com o público na Marquês de Sapucaí, após o adiamento do Carnaval de 2021, o vice-presidente da Mocidade Independente de Padre Miguel, Luiz Claudio Ribeiro, falou para nossa reportagem sobre o atual cenário nas vésperas do maior espetáculo da Terra.

Cenário ainda cercado de dúvidas pelo avanço da nova variante da Covid-19, a Ômicron, que tem pressionado os sistemas de saúde pelo país e as autoridades.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), se manifestou para comentar que ainda é cedo para tomar decisões sobre um evento que acontecerá somente daqui a 45 dias. Porém, na última semana, cancelou o Carnaval promovido pelos Blocos de Rua na cidade, mas garantiu a Sapucaí.

“Não dá para ficar tratando do vírus com uma coisa que vai acontecer daqui a 50 dias. Se hoje nós permitimos, em ambientes restritos, que as pessoas se reúnam, celebrem, com passaporte de vacinação, temos que pensar como ficará hoje, esta semana. Esse deve ser o foco. Não quero mais ficar debatendo um evento daqui a 50 dias, quando eu tenho que tratar desta semana. A gente entende, pelas regras atuais, que eventos em que podemos ter controle, passaporte vacinal e eventualmente testagem, não têm problema nenhum de acontecer”, disse Paes.

No mesmo dia, o governador Cláudio Castro (PL) também se manifestou dizendo não haver motivos para cancelar o Carnaval das escolas de samba. Antes, Castro recomendou o cancelamento da folia nas ruas em todo o estado do Rio.

Trabalhando até aqui com a certeza de realização dos desfiles, Ribeiro conta como recebe essa indicação das duas maiores autoridades do estado, fala das diferenças deste 2022 para os outros anos todos e de como a verde e branca tem se preparado para este Carnaval singular na história da festa.

“Com normalidade (recebe a confirmação dos desfiles). Tudo está sendo preparado de forma natural dentro da nossa escola. Respeitamos tudo desde o início. Fomos a última agremiação a realizar eventos presenciais, massificamos na nossa comunicação a importância da vacinação e o cumprimento dos protocolos, cobramos o passaporte vacinal atualizado de desfilantes e funcionários. Não há novidade dentro da nossa preparação”, comenta Luiz Claudio antes de comparar este ano com os demais.

“Obviamente é totalmente diferente. Será necessário o cumprimento de determinadas normas que nunca foram naturais. Vacinação atualizada, uso de máscara, testagem. Precisamos nos assegurar de tudo isso para que todos possam fazer o carnaval de forma segura e responsável”, e completa sobre os procedimentos adotados pela agremiação diante da pandemia.

“Já os vem adotando desde o início da pandemia. Na Mocidade ninguém entra sem vacinação em dia, não há componentes e nem funcionários sem vacina, e quem é contaminado com a Covid-19 fica afastado até ter o teste negativado”, detalha.

Perguntado pela nossa reportagem se 2022 será especial principalmente pela volta dos desfiles e o concurso acabaria ficando num segundo plano, Luiz Claudio deixou um recado claro.

“Não tem isso de disputa em segundo plano não. O carnaval será uma vitória da vida e do respeito a ciência, mas a competição será forte e a Mocidade quer ganhar, vem se preparando para isso”, garante e prefere não responder aos críticos do Carnaval que têm promovido campanha massiva nas redes sociais contrários a realização do evento.

Prefiro me direcionar aos componentes e torcedores da Mocidade. Mantenham-se em alerta contra a Covid-19. Usem máscara, continuem se vacinando e respeitando os protocolos. Confiem na nossa administração e nos relatórios de quem trabalha de forma séria, sem interesses secundários, preconceitos e alarmismo”, finaliza.

O Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 do Rio de Janeiro adiou para o dia 24 de janeiro a decisão final sobre a realização do Carnaval na Marquês de Sapucaí na cidade.

Nesta quarta-feira (12), em encontro com representantes da Secretaria Municipal de Saúde, foi adiada a decisão sobre a manutenção, cancelamento ou adiamento dos desfiles das escolas de samba marcados para os dias 25, 26, 27 e 28 de fevereiro.

No próximo Carnaval, a Mocidade leva para a Avenida o enredo Batuque ao caçador, que exalta o orixá Oxóssi e será desenvolvido pelo carnavalesco Fábio Ricardo. A verde e branca será a terceira escola a desfilar na segunda-feira, dia 28 de fevereiro, na Marquês de Sapucaí.

A obra leva assinatura de Carlinhos Brown, Diego Nicolau, Richard Valença, Orlando Ambrosio, Gigi da Estiva, Nattan Lopes, J J Santos e Cabeça do Ajax.

Baixe nosso App na Play Store, siga-nos em nossas redes sociais, Facebook, Instagram e Twitter. Venha fazer parte da família Lully FM! 

Fonte SRZD