Duda Oliveira abre a individual 'Universo Construtivo' com a peça 'Dores do Parto' no Museu Correios de Brasília, no próximo dia 17 de fevereiro | Lully FM - La Profundidade 88.1

Duda Oliveira abre a individual 'Universo Construtivo' com a peça 'Dores do Parto' no Museu Correios de Brasília, no próximo dia 17 de fevereiro

Divulgação

Exposição homenageia o centenário da Semana de Arte Moderna de 22 e mostra o poder transformador da arte e da mulher

A artista plástica  Duda Oliveira desembarca no Museu Correios de Brasília, com a exposição "Universo Construtivo", onde apresenta a escultura 'Dores do Parto', para homenagear o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 e mostrar o poder transformador da arte e  da mulher, independente de tempo narrativo ou sócio-político. 

Construir é libertar as emoções do artista e transmiti-las através da obra para o observador, imortal qual uma fênix e que toma forma pelas mãos de Duda Oliveira, que, com 'Dores do Parto', expõe seu universo particular.

A escultura foi desenvolvida em um momento de despedida entre a artista e sua mãe, que  sentia muitas dores em um corpo completamente transformado pelo sofrimento da doença. Tal fato fez Duda imaginar sua mãe aprisionada neste corpo, criando, então, duas camadas representativas do corpo dentro de uma outra camada. Na ideia desenvolvida pela artista, era preciso tirar a mãe daquela camada de sofrimento e libertá-la para a vida eterna. Tal qual o modernismo e a vanguarda libertaram a arte de seu conservadorismo e a tornaram livre, imortal.


As marcas do tempo são imprescindíveis em seus trabalhos. Suas obras sempre possuem estrias, priorizando o desgaste, numa busca intensa em explorar todas as fases de recrudescimento do material que está sendo trabalhado.  A  exposição quer mostrar que a imagem da mulher também se transformou, sob a inspiração de novos modelos estéticos. A arte sempre em seu papel altruísta, apenas sinalizou o que já estava pungente e silenciado por antigos valores.

“ Assim como o metal, o tempo transforma o que sou, indexando a duração e a forma que me comporto com o meu invólucro. É a partir dessa compreensão que eu consigo entender o simples, o que não depende de mim, a inexorável transformação das coisas.”, explica Duda.

Com curadoria de Edson Cardoso, Duda Oliveira quer chamar a atenção para o papel da mulher no centenário da Semana de Arte Moderna de 1922, visto que uma crítica de Monteiro Lobato, então colunista do jornal O Estado de São Paulo, à arte de Anita Malfatti,  tornou-a um expoente da maior revolução da arte nacional.  Com suas obras desprendidas de conceitos acadêmicos clássicos das Belas Artes, chocou a elite cultural brasileira, desafiou os novos tempos, flertou com a ruptura de valores culturais e morais e deu à mulher o poder de transformação no cenário social e cultural urbano, juntamente com todos demais participantes da Semana de Arte Moderna de 22.

Duda Oliveira quer mostrar que a imagem da mulher também se transformou, sob a inspiração de novos modelos estéticos. A arte sempre em seu papel altruísta, apenas sinalizou o que já estava pungente e silenciado por antigos valores.

“Somente a arte tem o poder de propagar o acesso ao real e grande poder de transformação. A arte nos torna iguais, permitindo a verdadeira ordem democrática das coisas, a compreensão verdadeira e espontânea do belo", diz a artista plástica.  

'Universo Construtivo' de Duda Oliveira abre no dia 17 de fevereiro (quinta), às 17h, no Museu Correios de Brasília. A obra 'Dores do Parto' estará exposta de 18 de fevereiro a 03 de abril, de segunda a sexta, das 11h às 17h, com entrada gratuita e censura livre. A exposição é uma individual dentro da mostra Ecos do Moderno ao Contemporâneo - Centenário da Semana de Arte Moderna de 22, com curadoria de Edson Cardoso (Ava Galleria) e Cotta Azevedo.

Método artístico e a arte ambiental

A organização de ideias da artista, inspirada nos Parangolés  de Hélio Oiticica, que fundou a “antiarte ambiental” juntamente com a formulação das “ordens de manifestações”, transformou os materiais contidos no seu espaço de vivência e de experiência diários, em outra ordem de coisas, com experimentações de mutação do corpo vivo e transmutação da arte em vida autônoma.

Nas esculturas, a artista reinventa o metal naval, cimento, vergalhões e a madeira inutilizada, em boa parte das obras. Partindo destes experimentos, Duda convida o público a refletir sobre a potência existencial de vida, transformação e esperança no caos.

Sobre Duda Oliveira

Artista plástica contemporânea, niteroiense, Duda Oliveira estudou arte experimental na Escola de Artes Visuais do Parque Lage, e História da Arte e da Arquitetura do Brasil, na PUC RJ. Desde 2018, vem participando de diversas exposições, com destaque para as Feiras Internacionais da Alemanha, Luxemburgo, em Salas Culturais em Portugal, nos Museus MASP, MAC Niterói e outros importantes espaços culturais do Brasil e do exterior. Em 2021 apresentou a exposição 'Enredados' no Centro Cultural Correios Rio de Janeiro.

Há 20 anos ingressou na militância do Direito Ambiental, especializando-se em Sociologia Política, para empreender de forma participativa. Com a luta e o árduo trabalho  na carreira de advogada, veio a necessidade de uma terapia alternativa. Foi assim que a arte entrou em sua vida.

A partir de 24 de fevereiro,  a artista plástica Duda Oliveira desembarca no Rio para abrir a exposição " Universo Construtivo", com 6 esculturas de grande porte (3m), produzidas para a Mostra Semana de Arte de 22, no Centro Cultural Correios Rio de Janeiro, onde apresenta os padrões de escolhas que representam as fases de composição e de decomposição do orgânico. Consciente de sua responsabilidade ambiental, utiliza sempre materiais reciclados ou recicláveis, o que aponta como valor agregado a sua arte.

Serviço:

Exposição: Universo Construtivo
Artista: Duda Oliveira
Instagram: @dudaoliveiraartista 
Obra: Dores do Parto
Mostra: Ecos do Moderno ao Contemporâneo - 100 anos da Semana de Arte Moderna de 22
Curadoria: Edson Cardoso e Cotta Azevedo
Assessoria de Imprensa Duda Oliveira: Paula Ramagem @_paula_r_soares
Abertura: 17 de fevereiro de 2022, às 17h
Visitação: 18/02 a 03/04/2022
Dias e horários: segunda a sexta, das 11h às 17h
Local: Museu Correios de Brasília
End.: Setor Comercial Sul, Quadra 4, Bloco A, n. 256, Ed. Apolo - Asa Sul
Censura Livre
Entrada gratuita
Acessibilidade. Uso de máscaras obrigatório.

Baixe nosso App na Play Store, siga-nos em nossas redes sociais, Facebook, Instagram e Twitter. Venha fazer parte da família Lully FM!

Paula Ramagem
Assessoria de Imprensa